Ciranda da Bailarina

setembro 14, 2011

Filed under: Sem-categoria — Tatiana Rezende @ 8:48 PM

“(…) O tempo certo sempre foi agora
Do jeito que eu imagino
A sua língua fala a mesma que a minha,
O resto é tudo que interessa
A gente sabe que o melhor não tem pressa, não tem pressa…”

De Graça – Luiza Possi

setembro 13, 2011

Filed under: Sem-categoria — Tatiana Rezende @ 11:20 PM

Sabe o que fode? É a sensação que você tá fazendo algo errado e sequer sabe onde errou, como errou…
É que parece que é tudo sobre algo que eu (possivelmente) faço. Parece. Queria acreditar que não é.

Enfim, sei lá.

setembro 11, 2011

Filed under: Sem-categoria — Tatiana Rezende @ 6:54 PM

E um dia você se pega pensando no que ficou. Dos sonhos que sonhou pra “vida toda”, do casamento que durou só dois verões, das mudanças e aprendizados que a vida trouxe nos últimos anos.
Aí você lembra que ouviu pouco depois daquele primeiro beijo “Não quero perder minha melhor amiga”. E se dá conta de que ninguém perdeu ninguém. Tiramos a roupa da amiga pra vestir a de namorada e depois a de esposa. Mas a roupa mais bonita sempre foi a de melhor amiga. Não que o tempo de namoro e casamento tenha sido ruim. NUNCA. Foi esplêndido e divino enquanto durou. Mas acabou. E a roupa de amiga que estava ali ainda limpa e pouco amassada pôde então ser recolocada. E hoje eu quero retomar isso. Poder estender a mão a pessoa que esteve do meu lado nos últimos 8 anos. Que me viu “crescer” como pessoa, que me acolheu quando eu chorei, que moveu mundos só pra me arrancar um sorriso, que brigou com família e amigos pra poder construir sonhos que eu tinha e que acima de tudo sempre esteve ao meu lado, mesmo á distância de um telefonema ou do meu lado na cama.

E essa ficha caiu quando eu ouvi (e re-ouvi, e re-ouvi, e re-ouvi…) a letra dessa música e me identifiquei. Quando associei esse sentimento todo ao último fato ocorrido, quando me doeu quase na carne saber o que ela passou nas mãos dos policiais (mesmo ela tendo provocado tudo aquilo). Quando eu me dei conta de que eu sairia de pijama pra achá-la onde ela estivesse. E por saber que ela faria o mesmo por mim. “Ainda é tudo seu”, porque nunca deixará de ser, minha grande e melhor amiga.

Ela nunca perdeu a grande amiga. Porque grandes amigos nunca se perdem.

A música é Ainda é tudo seu, da boa e velha Luiza, agora com a participação do Thiaguinho.

setembro 5, 2011

Filed under: Sem-categoria — Tatiana Rezende @ 11:28 PM

Daí é assim, você faz tudo certinho, respeita, não mente, cuida, ama, etc e tal mas não é suficiente.
O grande lance é ver o tal do pêlo no ovo, saca?

Paciência. Precisando de.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.