Ciranda da Bailarina

março 30, 2011

Filed under: Sem-categoria — Tatiana Rezende @ 9:38 PM

Ok, eu não sou fácil.
Mas eu tenho o direito de não chegar sorrindo na minha própria casa todos os dias? Eu posso um dia ou outro, ou alguns, não querer papo? Posso chegar, dizer boa noite e só? Poxa! A pessoa me conhece há 33 anos e porque ainda espera mais do que eu posso fazer?
Eu não dou trabalho, não dou prejuízo, qual o problema de eu não querer papo vez ou outra? Só pq hoje ela foi ao médico e eu esqueci? E pelo fato de ter esquecido não perguntei o que o médico disse? E no final o médico não disse porra alguma! Pediu mais um exame e pronto. Que diferença fez eu lembrar ou não?

Cara, ou minha mãe anda cada dia mais carente ou a cada dia ela me conhece menos. E eu tenho que confessar, pra qualquer uma das duas opções eu ando sem paciência.

Quando eu morava fora daqui eu ligava pra ela quando eu efetivamente queria saber como ela estava. Eu vinha visita-la quando eu efetivamente queria vê-la. Gente, é tão difícil pra ela que eu não queira papo todo santo dia?

Desculpe se vai soar egoísta, mas eu preciso do meu espaço de novo. E logo. Pra eu poder ter prazer em conversar, em contar coisas… convivência é ruim demais. Por isso que os casamentos acabam. Pq a gente obriga o outro a ver o nosso pior lado. A ver o que vc nem deveria mostrar.

E eu sei que se ela morrer amanhã eu vou me arrepender, talvez. Eu sei. Mas hoje eu tô sem paciência. Tô mesmo.

março 25, 2011

90 dias já se foram…

Filed under: Sem-categoria — Tatiana Rezende @ 10:50 PM

Com essa coisa de Twitter, Facebook e o caramba a quatro a gente meio que perde o tesão de escrever em blog, sabe… É que sai mais rapido escrever tudo em 140 caracteres. Mas eu queria voltar a blogar como há uns seis ou sete anos eu fazia.
Lá no Facebook a gente tem que medir a palavras, pq tem gente do trabalho, pq tem gente que não precisa saber, enfim. Seria mesmo bacana voltar a escrever.

Três meses pós virada de ano se passaram e o balanço por enquanto é super positivo. Encontrei uma pessoa incrível que me adora (encontrei não, fui encontrada), estou progredindo muito no trabalho e posso dizer que hoje me sinto bem. Muito bem, aliás.
Mesmo vivendo de ponte aérea eu consigo imaginar ela no meu futuro. o meu futuro no dela, enfim.
Não, eu não perdi o medo de me entregar, mas tenho me soltado bem mais.

Agora sou ruiva, sacomé? Tipo ruiva natural, aquele tom meio alaranjado, bem cenourinha… E ficou bom, todo mundo disse. Natureba mesmo. Com cara de gringa. Agora só falta speak english very well… 🙂

Continuo apaixonada pela música da Luiza (Possi) e da Isabella (Taviani) mas me ´permito conhecer sons novos como Kate Nash, Mika e Robertá Sá.

Esse ano faço 34 e olha, me sinto cada dia melhor do que antes.

Prometo mesmo tentar escrever mais. Entre uma lição e outra do inglês. Porque agora eu tenho que estudar se eu quiser ser promovida.
Tchaubêjo.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.