Ciranda da Bailarina

agosto 29, 2010

Quando eu estiver triste, simplesmente me abrace

Filed under: Sem-categoria — Tatiana Rezende @ 12:33 PM

Eu não sei bem porque dói tanto se foi tudo tão rapido. Rápido mas nao menos intenso por isso. Pelo menos não do lado de cá.
Quem manda em sentimentos? Eu não. Se vc manda, me ensina tá?
Ela era exatamente o que eu queria. E ainda assim a coisa não andou como deveria. Culpa minha? Culpa dela? Culpa de quem? De ninguém. Eu prefiro pensar assim.
“Quando penso em alguém, só penso em você” – Essa é bem a fase. Porque quanto eu tô entre amigos ou trabalhando, tudo está OK. Mas vez ou outra ouço ela dizer algo ou relembro uma piada, algo só nosso… E aí a saudade aperta o peito, me dá uma tristeza que eu tento afastar a todo custo. Meu olho fica meio molhado e eu geralmente mudo o papo pra ver se o pensamento muda também. Quase ninguém percebe o nó na garganta que me dá nessa hora. Eu disfarço bem, eu acho.
Aí vem aquele seu amigo e diz: “Meu, arranja outra que isso passa rapidinho.” Eu conheço esse remédio. Funciona sim quando não há sintomas de estar apaixonada. Esse encantamento não anda me deixando olhar as pessoas com outros olhos. Parece que eu só vejo suas sardas…
Mamãe disse que essa dor ajuda a crescer e amadurecer. E quem sabe virar uma pessoa melhor.
Domingos são sempre mais ruins. Porque eu ficaria esperando um SMS de bom dia ou uma ligação. [A gente leva 21 dias pra tornar algo uma rotina]. E em 37 dias isso não seria diferente.
E pensar no que ela está fazendo, onde estaria, o que estaria pensando… Não ajuda. Penso frequentemente que ela já está em outra, que na verdade nunca esteve mesmo na mesma vibe que eu. E se isso tudo é mesmo um sentimento platônico, azar o meu. Eu que tenho que catar os cacos e colar. Pra formar uma pessoa melhor. E sem paixão dentro de mim, pelo menos não por ela. Just for this.

Blog no WordPress.com.